14. lucas

leia poesia e cantará o sol

I.
Cantiga

Nas ondas da praia
Nas ondas do mar
Quero ser feliz
Quero me afogar.

Nas ondas da praia
Quem vem me beijar?
Quero a estrela-d’alva
Rainha do mar.

Quero ser feliz
Nas ondas do mar
Quero esquecer tudo
Quero descansar.


Manuel Bandeira

II.
Caixeiro Viajante – Vinny Santa Fé

III.
Teia

Teia outra.

Aranha que se escondeu
ou se foi.

Entre dois fios de arame farpado,
no pasto,

a teia, esplendor de água,
desafia o touro amante:

renda de lúcidas pérolas
ateia-se ao sol levante.


Ruy Proença

IV.

“Belle Isle—Detroit,” from “The Americans,” 1955 – Robert Frank

V.
Love Love – Gilsons

VI.
Limiar

No corpo, onde tudo tem seu preço,
eu era um mendigo. Ajoelhado,

olhava, pela fechadura, não
o homem no banho, mas a chuva

a atravessar seu corpo: cordas de guitarra a
estalar sobre ombros em forma de globo.

Ele cantava, e é por isso
que eu lembro. Sua voz –

me preenchia até o osso
como um esqueleto. Até mesmo meu nome

se ajoelhava dentro de mim, pedindo
para ser poupado.

Ele cantava. É tudo que me lembro.
Pois no corpo, onde tudo tem seu preço,

eu estava vivo. Eu não sabia
que tinha motivo melhor.

Que certa manhã meu pai ia parar
– potro negro em tempestade –

& tentar escutar minha respiração contida
atrás da porta. Eu não sabia que o custo

de entrar numa canção – era perder
o caminho de volta.

Por isso entrei. Por isso perdi.
Perdi tudo com meus olhos

bem abertos.

Ocean Vuong

Um comentário sobre “14. lucas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s