isabela

do sonho, você me conta
da viagem ao planalto
e a primeira chuva
a revirar a terra
húmus das hermafroditas
vem o verde, os grilos

você sabe andar serena entre
as jovens lavradoras
as ceifadoras das estradas
entre as flores e seus segredos
e conhece a rezadora dos satélites
das cadeiras giratórias

do sonho, você faz
cadernos, conchas,
o verão
e os reservatórios de águas
tão austeros quanto as paredes
das salas de espera
e úmidos

a angústia, as sete maravilhas,
ah eu sei o fato sui generis
logo será tempo de ir ao campo
e quando for 
esquece as cadeiras na calçada
os megafones, os bolsos expostos
a velha congregação
as colmeias sem mel

ao acordar
lave seu arado e a foice
e acredite
o capim quando verde
é abrigo e afeto

este poema faz parte do projeto verão. a leitura de isabela pode ser encontrada aqui.

Um comentário sobre “isabela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s